Intrometido

30 de março de 2019

Procedimentos investigatórios que envolvem o diretor nacional da Cruz Vermelha, Daniel Gomes, e a ex-secretária Livânia Farias, já tramitam na 5ª Vara Criminal da Capital

Diversos procedimentos investigatórios instaurados a partir da Operação Calvário estão tramitando desde ontem, sexta-feira, dia 29, na 5ª Vara Criminal da Capital. O portal do Tribunal de Justiça da Paraíba já disponibiliza a movimentação processual, na qual constam os nomes da ex-secretária de Administração do Estado da Paraíba, Livânia Farias, que está presa desde o último dia 16, e do diretor nacional da Cruz Vermelha Brasileira, Daniel Gomes da Silva, que está preso no Rio de Janeiro.

operacaocalvario5varacriminal

No mesmo procedimento criminal em que estão sendo investigados a ex-secretária Livânia Farias e o diretor nacional da Cruz Vermelha , Daniel Gomes da Silva, também constam os nomes de Michele Louzada Cardoso, assessora da Cruz Vermelha, e Leandro Nunes de Azevedo, ex-assessor da ex-secretária Livânia Farias.

Segundo a investigação Michele Cardoso era responsável de fazer entrega de grande quantias em dinheiro, em caixas de vinho, a agentes públicos. Dia 8 de agosto do ano passado, em plena campanha eleitoral, Michele foi flagrada entregando quase R$ 900 mil a Leandro Nunes de Azevedo, em hotel luxuoso no Rio de Janeiro.

Leandro Azevedo confirmou aos promotores que investigam o caso que recebeu o dinheiro , e por ordem da secretária Livânia Farias, utilizou o dinheiro da propina que recebeu para pagar fornecedores da campanha do candidato a governador do grupo Girassol, João Azevedo, vencedor daquele pleito eleitoral e atualmente governador do estado da Paraíba.

Leandro indicou os nomes dos fornecedores de campanha que receberam quantias de R$ 300 mil e R$ 250 mil em hotéis e apartamento no Rio de Janeiro. Os fornecedores já foram ouvidos e confirmaram a informação dada por Leandro Azevedo quando foi ouvido no Ministério Público da Paraíba.

FacebookTwitterGoogle+Compartilhar